SHEBYTESME TECNOLOGIA

SheTalks:Cher Hamilton

SHE TALKS!

Sandra Abreu
Rio das Ostras -RJ

Ela é a pessoa por trás de uma startup
de tecnologia que vem incomodando
as agências da cidade.

O sucesso é uma questão muito pessoal. Eu trabalho para atender pequenas empresas, mas se no futuro isso crescer a ponto de eu não poder mais atender à demanda e tiver de lidar com problemas maiores, eu creio que vai fugir do meu objetivo. A maioria das pessoas quer exatamente isso , crescer a ponto de não dar mais conta. Mas será que o seu objetivo é bom para você? Vai tornar sua vida melhor ou é apenas ego e imposição da sociedade? Ser empreendedora demanda também auto conhecimento e equilíbrio.

Q. Fale um pouco da sua empresa e o que você considera um vida de sucesso:

A minha empresa hoje basicamente cria sites para pequenos empreendedores. Hoje existem muitas ferramentas e opções grátis para criação de sites, então parece um pouco fora de moda oferecer esse tipo de serviço, sobretudo para empresas iniciantes que não querem gastar no começo. Foi o que eu pensei no começo.  E é exatamente isso, novas empresas estão surgindo e demandam serviços cada vez mais profissionais, por que você não vai ter força para competir num mercado se oferecer um design visual ruim e um site amador, então esse é meu nicho. Desde criança eu já pensava em ter uma empresa, vendia papel de carta na escola, criei uma loja de camisetas antes de começar a programar. Uma vida de sucesso é poder trabalhar com tranquilidade com o que você gosta e ter dinheiro para manter um estilo de vida confortável, sem excessos, mas também sem atropelos.

Q. Qual lição você aprendeu em sua carreira que poderia compartilhar?

Quando você é funcionária de uma empresa, ou trabalha para alguém, você sente que está inserida na sociedade, está onde esperam que você esteja, de 7 Às 17. Quando você decide que é hora de voar sozinha, então as pessoas julgam, criticam e no começo isso pode ser difícil de lidar, por que tudo que você quer é aprovação e confiança. A lição que eu aprendi é, a não ser que a pessoa esteja calçando seus sapatos, ninguém pode falar do que não sabe. Então aprender a lidar com as críticas e se sobrepor às dificuldades  sem desistir do que você acredita, leva um tempo, mas é o caminho certo.

Q. Você experimentou algum desafio por ser mulher no ambiente de trabalho ou educacional?

A área de tecnologia é predominantemente masculina. Na faculdade éramos 1% da turma e menos ainda se formou ou atua na área hoje. Desde os professores até os livros de tecnologias, não foram feitos para se comunicar com o sexo feminino. Se você é uma garota de 17 anos e entra para a faculdade de sistemas de informação, qual seu interesse em aprender a criar um algoritmo para um jogo de poker às dez da noite? Tem que ser perseverante e um pouco mazoquista para continuar no curso.  No trabalho, as mulheres são muito poucas e os sentimentos variam. Ou somos vistas como gênios inteligentes acima da média, ou com desconfiança e desdém e temos que trabalhar o dobro para mostrar que podemos, mesmo ganhando a metade…

Q. Como você soube que o que queria fazer?

Não soube, eu só sentia que não queria ser a funcionária de alguém para sempre, mas também não há nada errado nisso. Mas eu sabia que podia fazer mais com o que eu estudei. Então eu estudei mais e continuo estudando todos os dias. Tudo que uso para trabalhar hoje, aprendi sozinha, com vídeos do Youtube, cursos online e por aí vai. A faculdade foi útil, mas se você quer começar na área de tecnologia, tem muitos recursos disponíveis na web. Se você tem a inclinação para alguma coisa, isso pode te dar um estalo para começar algo, ou não. Eu comecei com uma loja de camisetas, ilustrações, uniformes,  hoje sou programadora…

Q. Se você consegue, como você gerencia um bom equilíbrio vida pessoal/ trabalho?

Gosto de deixar o trabalho no trabalho, mesmo trabalhando home office acho importante não misturar as coisas. Então seguir um horário saudável e não trazer trabalho para casa ajuda a manter a mente sã, o problema é que nem sempre é possível.  Então uma caipirinha na quinta a noite ou uma praia no meio da semana ajudam a manter o equilíbrio.

“A parte favorita sobre ser e empreendedora é anotar o que eu tenho que fazer no dia seguinte e pensar, ah isso eu resolvo em quatro horas. Ter essa independência e não precisar cumprir horário só por que o chefe está olhando, mesmo que você não esteja produzindo nada.

A pior parte de ser a dona do próprio negócio é anotar o que eu tenho que fazer no dia seguinte e o dia seguinte só ter 24 horas! e saber que se eu não fizer, é meu sonho que não está acontecendo. “

Q. Que conselho você daria a qualquer empreendedora que está começando um negócio?

Estude. Crie um plano de negócio, com metas a curto e longo prazo. Tenha tudo bem definido no papel e na cabeça e sobretudo, não desista. Sabemos da realidade do Brasil, mas se você tem uma ideia qua acha que vai fazer a diferença na sua comunidade, resolver o problema de alguém então foque e tenha força. Ser mulher não vai definir seu destino neste caso, se você se planeja bem e faz um bom trabalho. Dificuldades sempre existirão, mas isso não deve te congelar.

Conheça o trabalho dela:

www.shebytes.me

Receba no seu e-mail:

[wpforms id="1176"]

SheTalks® é um espaço inspiracional e experimental criado para empresárias, empreendedoras e líderes de pensamento compartilharem seu conhecimento e tudo que aprenderam em suas jornadas​.